Na Estrada

Andar de ônibus na minha vida é quase como respirar: automático. Faço isso há uns 15 anos. Quase todos os dias são 30 km para ir e 30 km para voltar. Quando não é em dobro. Conheço todas as curvas e suas respectivas placas. Conheço todos os quilômetros e seus respectivos remendos. Na época de colégio, eu ia de "micro". Agora vou de busão. Sei os horários que o ônibus passa de cor. Sei quanto vai demorar a viagem. Sei até quem é o motorista e o/a cobrador/a de cada horário, se duvidar. Eles também já me conhecem. Mas, sabe, até que eu gosto. Quantas histórias durante todo esse tempo. Fiz amigos, desfiz outros. Chorei, sorri. Cada nova viagem de ônibus é uma nova aventura para mim. Não sei quem sentará ao meu lado, não sei quem me pedirá licença, não sei quais pensamentos invadirão a minha mente. Andar de ônibus me serve como uma grande fonte de inspiração. Eu posso relaxar, fechar os olhos e me deixar levar pelos meus devaneios. Às vezes nem faço questão de colocar os fones de ouvido. Eles parecem bloquear alguns pensamentos e também me fazem perder conversas interessantíssimas dos outros passageiros. Dia desses, ouvi um papo muito bom entre os viajantes dos bancos de trás. Fingi não estar nem aí, mas escutei tudinho, tintim por tintim. Acho que vai ser estranho o dia que eu ter o meu carro e não precisar mais pegar ônibus. Claro que a comodidade vai ser muito maior, mas não vou mais poder ficar observando cada um daqueles que pegam o ônibus. Tem sempre gente interessante, com algo legal para contar. Não sou muito de puxar papo, mas às vezes me encorajo e começo eu mesmo o blábláblá. Às vezes é tudo o que precisava naquele momento.
Se um dia eu sentir que a minha inspiração está indo embora (realmente tenho medo disso, chego a me apavorar), pegarei o primeiro ônibus que aparecer e vou deixar ele me levar. Levar-me para cá e para lá, mas principalmente para dentro de mim, da minha lucidez e da minha loucura.

Comentários

  1. Lindo! Digno de alguém com a tua sensibilidade! Mas, paulista, devo dizer que isso jamais seria possível se vc vivesse aqui em SP, onde os ônibus vão sempre lotados e o trânsito está sempre engarrafado... Vc já esteve aqui? Já andou de metrô? Em caso negativo, quem sabe um dia desses... Mas acho que vai ser difícil se inspirar assim...
    GK

    ResponderExcluir
  2. Obrigada GK! Seus comentários sempre me fazem sorrir.
    Verdade, sou gaúcha e por aqui o transporte público ainda não está um caos. Já estive em SP, mas faz um bom tempo já. Nem lembro direito. Pois é, dificilmente encontraria inspiração em um metrô paulista lotado. Seria somente fonte de irritação, creio eu. Mas um dia passo aí só para comprovar... Hehehe
    Priscilla

    ResponderExcluir
  3. Oi, Pri! Andar de ônibus não é tão ruim assim, como a maioria das pessoas preconiza, pelo menos na minha peculiar visão. Todos querem um carro, um automóvel privativo, com o conforto e a comodidade que são merecidos. Porém, andar de ônibus tem suas vantagens, pois viajamos dentro de nós mesmos, nos inspiramos e refletimos sobre a nossa vida, observamos o próximo, olhamos como está a cidade, estamos em contato com o público. Isso é bom para nós, humanos, que somos seres sociais por natureza, já dizia Aristóteles. Isso é bom, e faz bem. AVP.

    ResponderExcluir
  4. Olá AVP! Concordo contigo. Andar de transporte público é mais um jeito de desenvolvermos a nossa cordialidade, nossa paciência, nossa preocupação com o bem-estar do próximo.
    Obrigada pela visita e pelo comentário!
    Priscilla

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas