Levantar voo

Quem me dera ser um passarinho. Desses que voam, voam e voam por aí. Batem as asas e saem mundo afora. Deixam o ninho quando bem entendem e pousam onde acham confortável. E bonito, porque ninguém gosta de ficar onde a beleza não irradia. Exploram o mundo todo. Devem sentir os mais diversos cheiros, tocar os mais diferentes pisos, observar as mais estranhas e bizarras pessoas e situações, ver as mais belas paisagens. Não sei se há melhor vida do que essa... 
Ainda cantam, como se tudo pudesse ficar ainda melhor!
Se presos em uma gaiola, o coração ainda bate. A vida é que não palpita mais.
Eles nasceram para serem livres.

Quem me dera ter a liberdade de um pássaro.

Espera aí... Será que eu não tenho essa liberdade também?
Será que sou eu que não quero enxergar?
Sou eu que estou com medo de descobrir que posso voar por todos os céus que eu quiser?
Será que eu estou com medo de deixar a gaiola?

Está na hora de levantar voo.

A gente só enxerga aquilo que quer ver.

Comentários

  1. Salvo pouquíssimas exceções, toda limitação é auto-imposta.
    GK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso! Disse tudo!
      Damos culpa para os outros quando somos nós mesmos que nos colocamos algemas e correntes.
      Beijos,
      Pri

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas