Sobre eles (e o Rodrigo Hilbert)



Homens. Melhor com eles, pior sem eles. Somos todos seres humanos, mas eles são diferentes. De mim, que vim ao mundo mulher. Os homens são mais fortes. A biologia não nega. Menos delicados, talvez. Não sangram todo mês, mas fazem a barba todos os dias. Não sentem um bebê crescer no ventre, mas embalam a criança perto do peito. Em meio à convivência com a testosterona, são intitulados “machos”. Nem venha falar de macho alfa. Brega, brega, brega. Homens são homens. 

Eu gosto dos homens. Pena que o machismo fez tão mal para eles, assim como para nós, as oprimidas. Não estou querendo comparar quem sofre mais. Todas e todos somos atingidos. Ninguém escapa. A posição de opressor obviamente também não é benéfica. Pode até aparentar poder, mas é um poder infundado, ilegítimo e cruel. Independente do papel desempenhado, sobra angústia, insegurança e medo. Onde já se viu um homem não poder chorar nem na frente da própria família? Dos amigos? De qualquer pessoa. Não faz o menor sentido. Chorar é humano, não feminino. 

Homens, não demonizem o Rodrigo Hilbert. Além de ele estar muito bem casado, acredito que as mulheres que já passaram dos 20 e poucos anos não mantenham paixões platônicas com ideais hollywoodianos. Não queremos o Rodrigo, nem os seus dotes culinários, sua habilidade com crochê ou os conhecimentos em construir churrasqueiras. Queremos o que ele representa: o homem que não precisa provar que é "homem" o tempo todo. Isso deve ser tão cansativo... Se os homens pararem para pensar, vão querer deixar de lado tanta pressão. Sejam o que vocês são. Com todas as delícias e as dores de ser. Assim, a sensibilidade que lhes falta, vira à tona. E pronto.

Os homens, eles são lindos. Conheço homens generosos, amáveis e sensíveis. De outros, não posso dizer o mesmo. Esses, perdidos em uma sociedade cada dia mais feminista – sem volta, ainda bem! –, precisam da nossa ajuda para ver o quanto sofrem com todas as mazelas enraizadas pelo patriarcado. Não conseguiremos vencer sozinhas. Eles continuarão pais, filhos, irmãos, esposos. Certa vez, ouvi uma “tese” interessante. Diz que os homens são 60% masculinos e 40% femininos, enquanto que as mulheres são 60% femininas e 40% masculinas. A palavra mágica está aí: equilíbrio. Homens, vale a pena tentar. Eu topo ajudá-los.

*Toda sexta-feira, às 10h, tem crônica nova aqui no blog. Gostou? Deixe seu comentário. E volte sempre!

Comentários

  1. Tanto é o homem o sexo frágil, que disso precisa acusar o oposto.
    GK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aham!!! Muito verdade isso. Afinal, só enxergamos no outro aquilo que temos dentro de nós mesmos!
      Valeu pelo comentário, GK! :)

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas