11:11


Eu vejo horas iguais o tempo inteiro. Toda hora, todo lugar, todo relógio. Depois que saio do banho, quando coloco a pizza no forno, quando mudo de canal na TV. É no quarto, na cozinha da mãe, no elevador. Estão lá no celular, no despertador do criado-mudo, no computador.

É um festival diário de 11:11, 22:22, 14:14, 16:16, 18:18. Na verdade, começou assim. Agora além destes aparecem outros. Dezenas de 17:11, 07:22, 15:33, 21:44, 19:55. Eu não estou de brincadeira. Eu estou falando seríssimo. Se não acredita, queira se retirar deste recinto virtual.

Nos anos de colégio, uma amiga dizia que quando víamos horas iguais era porque alguém estava pensando em nós. A primeira pessoa que vinha à nossa mente era o guri pelo qual éramos apaixonadas. Era uma felicidade ver horas iguais. Um bom presságio, de qualquer forma.

Eu via bastante até nessa época. Depois diminuiu a ponto de eu esquecer das tais horas iguais. Aos poucos, ano passado, elas foram voltando e aparecendo e reaparecendo a ponto de eu voltar a prestar atenção nelas. Espera aí: tem alguma coisa nessa coisa de ver horas repetidas!

Ai, Jesus! Maria! José! Nas primeiras vezes, eu corria para o Google pesquisar o que significava ver o 11:11. Encontrei um site confiável. Eu confiava, pelo menos. Entrava todos os dias. Conferia e conferia mais uma vez. Pra ver se entrava na minha cabeça. 

Eis que descubro que esses numerozinhos são mensagens para a minha alma, muito mais do que para o meu cérebro. São mensagens dos anjos? De mentores? Dos meus guias espirituais? Do Universo? Eu não entendo exatamente como funciona, mas acredito que é isso mesmo.

Eu tenho medo, mas me sinto segura. Eu não entendo, mas eu acho que entendo. Eu posso deixar para lá, mas confiro a hora e lá estão de novo as horas iguais. Eu sigo em frente, então. Só posso estar no caminho certo, para dentro. Podem ser coincidências. Ou o acaso. No fundo é tudo a mesma coisa.

É muita hora igual para uma pessoa só. Que fique claro não ser uma reclamação, mas uma constatação. Afinal, eu acredito e confio na sincronia dessa louca vida louca. Não é louco? Eu acho tudo muito louco.

E nunca estive tão lúcida.

*Toda sexta-feira, às 10h, tem texto novo aqui no blog. Gostou? Deixe seu comentário! E volte sempre!

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas